Política Crítica

Análise. Haddad, o tempo, a herança e o risco

PT decidiu trocar e apostar no ex-prefeito

Publicado em 2018-09-11 18:57:16 Atualizado em 2018-09-12 07:45:25 (329 visualizações)

O PT decidiu mesmo trocar o nome de Lula- preso em Curitiba- por Fernando Haddad como seu nome para a disputa presidencial deste ano. O partido ganhou as últimas quatro eleições e foi derrotado no Congresso com o impeachment de Dilma Roussef, que sofreu amplo combate nas ruas e com a crise econômica.

Haddad precisa agora recuperar a imagem do PT como partido de base e de 'bons valores' para avançar ao segundo turno. O favorito para estar no segundo Jair Bolsonaro sonha enfrentar o PT e contar com a alta rejeição ao partido nas camadas médias e assim se tornar presidente.

Haddad tem pontos fortes como ter governado São Paulo (cidade) e ter implantado ciclovias. Seu currículo também o credencia a ser presidente. E tem a nova cara que o PT precisa para sair das cinzas da Lava Jato. 

Contra si, ele tem a derrota para João Doria (PSDB) na eleição de 2016, investigações que podem surgir no meio do processo eleitoral e toda a Lava Jato com os governos do PT.

TEMPO- O foco do eleitor na eleição presidencial deve ajudar Haddad a herdar votos de Lula. Com metade deles, o petista novo estará no segundo turno. E agora ele poderá participar dos debates e entrar no jogo, com seu nome questionado e elevado.

HERANÇA- A herança do PT pesa muito contra Haddad, mas a memória do eleitor dos tempos Lula é muito positiva, que será capaz de torná-lo conhecido pela maioria do eleitorado. 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Política Crítica

Tiosso perde pra Fanali, agora no TSE


Dalben pai cobra turma de sec de obras


Thiago Brochi pede 'verbinha' pro Ten. Derrite


Ver.s passeiam de barco no dia da água


Peressim quer PM nas escolas estaduais



© 2009-2019. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza