Alckmin adota tom privatista e fala como candidato

Geral,

Alckmin adota tom privatista e fala como candidato

27 de novembro de 2017

(Reuters) – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), falou nesta segunda-feira como candidato à Presidência da República e prometeu, se eleito, privatizar a maioria das 150 estatais federais e adotar uma agenda reformista que tire o que chamou de ???Estado paquiderme??? das costas dos trabalhadores e dos empreendedores.
Governador de São Paulo Geraldo Alckmin em cerimônia em Brasília 22/9/2016 REUTERS/Ueslei MarcelinoAlckmin também disse que, se for candidato e vencer as eleições, criará o Ministério da Segurança para que o governo federal tenha papel mais ativo na questão da segurança pública, atualmente de responsabilidade dos Estados.
???Eu vou trabalhar para tirar das costas do trabalhador e do empreendedor brasileiro esse Estado paquiderme???, disse Alckmin durante evento promovido pela revista Veja.
???Vou defender uma agenda reformista???, acrescentou o governador.
Alckmin, que tem sido cotado para assumir a presidência do PSDB na convenção nacional do partido em 9 de dezembro, procurou se esquivar do assunto e afirmou que um encontro na noite desta segunda entre o senador Tasso Jereissati (CE) e o governador de Goiás, Marconi Perillo, pré-candidatos ao comando tucano, deverá definir este assunto.
O governador negou que haveria conflito de interesse no caso de assumir a presidência tucana e disputar prévias internas para definir o candidato do PSDB à Presidência e disse que, se for candidato, pretende fazer aliança eleitoral com ???cinco, seis, sete partidos???.

Gostou? Compartilhe!

Alckmin adota tom privatista e fala como candidato

Geral,

Alckmin adota tom privatista e fala como candidato

27 de novembro de 2017

(Reuters) – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), falou nesta segunda-feira como candidato à Presidência da República e prometeu, se eleito, privatizar a maioria das 150 estatais federais e adotar uma agenda reformista que tire o que chamou de ???Estado paquiderme??? das costas dos trabalhadores e dos empreendedores.
Governador de São Paulo Geraldo Alckmin em cerimônia em Brasília 22/9/2016 REUTERS/Ueslei MarcelinoAlckmin também disse que, se for candidato e vencer as eleições, criará o Ministério da Segurança para que o governo federal tenha papel mais ativo na questão da segurança pública, atualmente de responsabilidade dos Estados.
???Eu vou trabalhar para tirar das costas do trabalhador e do empreendedor brasileiro esse Estado paquiderme???, disse Alckmin durante evento promovido pela revista Veja.
???Vou defender uma agenda reformista???, acrescentou o governador.
Alckmin, que tem sido cotado para assumir a presidência do PSDB na convenção nacional do partido em 9 de dezembro, procurou se esquivar do assunto e afirmou que um encontro na noite desta segunda entre o senador Tasso Jereissati (CE) e o governador de Goiás, Marconi Perillo, pré-candidatos ao comando tucano, deverá definir este assunto.
O governador negou que haveria conflito de interesse no caso de assumir a presidência tucana e disputar prévias internas para definir o candidato do PSDB à Presidência e disse que, se for candidato, pretende fazer aliança eleitoral com ???cinco, seis, sete partidos???.

Gostou? Compartilhe!